Muitos criaram blogs depois desse blog que ja está com 3.000 visitas de páginas! Mas o porque dele mesmo? antes tinha colocado que era para expor minhas insanidades e para desabafar, serviu e ainda servira para essa finalidade, mas creio eu que ele seja mais que isso, mostrou muitas coisas e acho que muitos gostaram, então o porque dele? Não sei. Só sei que nem tudo que eu escrevo é verdade, nem toda verdade eu escrevo. Mas tudo que digo é verdade e se digo alguma mentira meus olhos me traem!

Olha a hora...

quarta-feira, maio 23, 2012

Tratado


Creio que essas palavras serão perdidas, esquecidas após serem vistas pelos olhos clínicos de um amante qualquer, de um curioso ou não, sei que elas serão arquivadas em sua memória. Não cumprindo o meu objetivo estará estas palavras fadadas a ocupar as nuvens da internet, ou alcançando o meu objetivo elas estarão ocupando os corações daqueles que amam e principalmente o seu! E quem sabe poderá ser útil a um outro amante que como um rascunho de papel pode transformar essas palavras numa carta de amor.. pura ilusão?!
Então, ciente que me encontro num palco desocupado e sem um público que me possa recriminar pelas minhas posições, (que diga-se de passagem já recriminaram, mas não me importo) divergentes daquilo que é considerado normal para amantes como eu, que pensam que o outro é o paraíso, como um ator imbuído da vontade de atuar, transformarei essas simples palavras num tratado, que terá como finalidade, meu bem, tentar situar-lhe naquilo de mais complexo que possui o homem, ou melhor, naquilo de mais complexo que eu possuo: que é o meu pensamento, meu amor por você.
Evocando o espírito daquele solitário ator, poderia iniciar minha lamúria utilizando as palavras de Fausto ou de Shakespeare, mas para tanto eu com o meu pobre coração com o mais puro sentimento que pode existir digo que te amo.
Encontro-me, num limbo. A mente aquieta, pensa que após tantos obstáculos, desafios, inquietudes, chega a hora de parar e descansar. Verifica que após páginas e páginas de assuntos variados, acredita que o conjunto que, por delegação, rege, deve se retirar da batalha e ingressar num momento de quietude e acabar o livro dessa historia.
Mas não, vem o coração, inconformado e fazendo às vezes da razão, o coração de quem te ama com todas as forças, o coração de um romântico ruge e prega que é hora de ir às armas e ir atrás de mais, numa sede inesgotável pelo desconhecido, pelo intangível, pelo ainda não vivido, pelos momentos mágicos, por tudo que vale a pena, por tudo vivido, pelas lagrimas de alegria, vale a pena continuar! Assim, podem ser postos como preâmbulo deste tratado, os momentos passados juntos, as risadas, as horas de conversas, os bons momentos, os versos de que fora construído por um jovem, através de cartas que não mando, deslocado pelos padrões normais vigentes, dentro de uma sociedade individual que prega que nem sempre vale a pena lutar por quem se ama, que deve-se acomodar ao invés de lutar. Para completar o tratado, pode-se colocar que o jovem é um pensador que tenta pensar por sua própria cabeça e coração.
É entendido algumas vezes. Algumas vezes não.
Culpa dos que amam e vão a luta?
Creio que não.
A sociedade é que é a grande culpada que obriga seus integrantes a adotarem uma vida de nascer, crescer, trabalhar, constituir uma família e repassar esses valores e se findar sem antes de tudo, plantarem em todos que vale a pena lutar por quem se ama, que não devemos viver por conveniência, que devemos sim correr atrás e ir a luta, quebrar a cara?! Faz parte!
Não serei hipócrita em dizer que não estou nesse ciclo vicioso. Contudo, como toda regra, existem exceções, que tentam questionar esses ciclos. O questionamento não invalida e subtrai da norma sua imperatividade. Continuamos presos ao determinismo imposto pelo sistema, sabendo dos malefícios que uma postura apática pode causar. Questiono e procuro ser um ponto diferente num emaranhado de pontos iguais.
A batalha é dura. Mas viver não é fácil.
Assim, meu amor, despeço-me, solicitando desculpas em tomar seu tempo, trazendo lamúrias que podem ser consideradas idiotas e desconexas para alguns, como sempre, talvez esteja viajando com as letras, ou não, quem sabe só brincando com elas!
Ao fechar as cortinas e ao apagar das luzes, o ator volta para seu mundo simples que consiste em preparar outro espetáculo, um outro espetáculo encenado no palco chamado vida, um espetáculo feito para você! Ao fechar as cortinas e ao apagar das luzes, o público não mais encontra o mundo como tinha deixado, pois mesmo que sutilmente ele absorve algo da encenação.
Te amo. A aurora nasce pra gente, o amanha nascera, o sopro que apaga um chama reacenderá o que for pra ficar, enquanto eu puder respirar estarei pensando em ti!

Nenhum comentário: